SambaGIA+Carrinho de beber do Opavivará agitam a feira de Cachoeira

Anúncios

Me dê motivos: Residência Opavivará + GIA durante o FIAR 3

Nunca faltou motivo para que os coletivos Carioca e Baiano, Opavivará e GIA respectivamente, se juntassem em 12 dias de convívio, proposições e ações!

Em um pós verão de um ano apocalíptico, pós pinheirinho e desmoronamento na cinelândia, em véspera de conflito no Quilombo do Rio dos Macacos… Opagiará ocupa um Paraguaçu completamente esvaziado… Sim, em uma tarde ensolarada, sobre um Paraguaçu assoreado, embarcamos no Raio de Sol II em 30 pessoas, entre elas 2 crianças de um ano que se comportaram melhor do que os adultos. As imagens que presenciamos eram paradisíacas, mas sempre lembrando que nada é um paraíso, logo nos deparamos com uma draga, que de acordo com a wikipedia “sua função mais comum é a de aprofundar portos e vias navegáveis removendo parte do fundo do mar ou do leito dos rios e canais.” Bem triste ver que ali também são sugadas diversas vidas marinhas, peixes, caranguejos e siris. Sobretudo o sol estancava a visão e continuamos embriagados e eufóricos com o samba dos bichinhos infláveis do Opa, que teimavam em se desgarrar da embarcadação, e a solução encontrada foi, embarcá-los junto com toda a tripulação. Resultado: escuna abarrotada. Mas como estava tudo um colorido só, continuamos a viagem com toda euforia, bem experimentada por Michelle Matiuzzi, a “cereja do bolo” deste FIAR. Uma performer negra, toda trabalhada com um figurino Tina Tunner. Ficamos tod@s estupefatos, não só porque amamos a linda Tina Tunner, mas porque Michelle é perfeitamente original  e foi por isso que a elegemos musa do Flutuador. Ainda me resta a pergunta: De onde veio essa mulher?

Indo em frente, após uma hora de viagem, ficamos enganchados em uma rede de pesca, e nosso comandante Zezinho teve um trabalhão para solucionar, à deriva, seguimos nossos diálogos sobre tatuís e mariscadas, pois alguém não está engolindo muito bem os sapos, principalmente aqueles que não associam relaxe como registro expandido.

Depois que Zezinho mergulhou para nos salvar, conseguimos seguir adiante, apesar de não enchergarmos quaquer pescador em mais de uma hora. Dadau em seguida aponta ao “careca” uma espécie de escorregador gigante que começa no topo de um morro e segue até a margem do rio, trata-se de um duto da empresa brasileira de petróleo que para instalar esse duto ( não me lembro se leva óleo ou gás) destruiu várias nascentes e retirou algumas famílias ribeirinhas, que agora tentam viver da agricutura familiar, com muita dificuldade. Essa careca realmente é assutadora! Mas não mais assustadora do que a ilha da fantasia, não sei se alguém fotografou, mas a ilha da fantasia tem até uma quadra esportiva sobre o rio!!! Não consegui avistar qualquer alma ali, se é que é uma ilha para quem tem alma.

E por fim depois do pulo ao mar no Iguape, não dava pra judiar de 2 crianças   e dois mestres do samba que naquela altura estavam sem os seus “remédios” tomados a casa 1/2 hora? Tive a impressão que era de 10 em 10 minutos, não é mestre Paraqueda? A maior satisfação foi tê-los conosco esses dias. E por isso, paramos para nos deliciar com a legítima mariscada do Recôncavo, mais precisamente a de Coqueiros.

Ficando para a Tarde os momentos mais lindos dessa trajetória, o encontro entre o Flutuador, os bichinhos, o Opavivará e o GIA. Não precisa nem falar, é só ver as fotos.

Tudo isso começa no Recôncavo Baiano, onde o regionalismo se dilui e tod@s se tornam um só corpo, na borda, continua em Salvador até o dia 12 de março.

Haverá guerra ainda?

Veja a continuação da residência no BLOG MEDEMOTIVOSOPAGIA

A musa do Flutuador Michelle Matiuzzi , A surpresa do FIAR 3 !

O Flutuador e os Bichinhos!