Exposição Máquina de FIAR

 

    Exposição sobre Residência Artística no Recôncavo será aberta em Salvador

 

De 7 a 20 de dezembro,  exposição de registros audiovisuais de intervenções artísticas no Recôncavo irá interagir com espaço expositivo da cidade

MÁQUINA DE FIAR, exposição que será inaugurada na sexta-feira, 7 de dezembro, às 17 h na galeria Cañizares – vale do Canela, trata-se de uma Mostra de registros audiovisuais sobre o FIAR – Festival de Intervenções Artísticas do Recôncavo, que acontece há 3 anos nas cidades de Cachoeira e São Félix.

Durante a terceira edição do Festival, que ocorreu em março deste ano, grupos e artistas independentes brasileiros e latino-americanos foram chamados à conviver em uma residência artística para desenvolver intervenções artísticas e audiovisuais nas localidades da região do Recôncavo. Cenário histórico e legado cultural fizeram parte das práticas coletivas, fazendo com que as atividades se relacionassem com os diferentes processos da região. Além das Intervenções e performances nas cidades, também fizeram parte da programação a convivência em meio às paisagens do recôncavo, como a feira, a beira do rio e o próprio rio durante uma navegação até a região da Bacia do Iguape.

Toda essa convivência foi registrada por meio de fotografias, vídeos e gravações sonoras, formas multimídias que possibilitam o compartilhamento de manifestações poéticas efêmeras como a ação, a performance e a intervenção urbana. Esse material multimídia foi selecionado e processado especialmente para a exposição.  A diversidade de linguagens e experiências nesta edição provocou um encontro de redes, sendo possível dentro da programação do festival, por exemplo, a existência de residências artísticas paralelas, como CAMBANA do Coletivo Provisório e Me dê motivos da união dos coletivos Opavivará – RJ e GIA – BA. Participaram também Marcelo Terça-Nada! do PORO, Rosa Apablaza curadora chilena da plataforma desisla, WG e Gilsão da MucamboNuspano, a artista e cineasta Patrícia Francisco,

Sobre essas manifestações que se deram no contexto do Festival em seus 3 anos, também será lançado um livro no dia 20 de dezembro, último dia da exposição, às 17 h com performances ao vivo. O livro tem apoio do Fundo de cultura do Estado da Bahia – edital Demanda Espontânea 2011 e da FUNARTE através da 8 Rede Nacional das Artes. A distribuição será gratuita tendo prioridade para aqueles que visitaram a exposição nas datas anteriores.

Abertura: 7 de dezembro às 17 h

Visitação: 10 a 20 de dezembro de 8 h às 17 h

Lançamento do Livro: 20 de dezembro às 17 h

Galeria Cañizares

Av. Araújo Pinho, 212

Canela – Salvador / BA

Mais informações:

http://FIARbahia.wordpress.com

(71) 91204403

Anúncios

Pinhole no FIAR 3

Essas são algumas das fotografias pinholes realizadas durante as oficinas do FIAR 3. Bianca Portugal e Paula Damasceno se uniram formando uma só turma que ofereceu teoria e prática sobre fotografia e audiovisual durante 3 dias na Escola Municipal da Cachoeira, jovens estudantes tanto da escola quanto da Universidade reproduziram máquinas fotográficas em latas de leite em pó.

Na própria escola também foi montado um pequeno laboratório de revelação onde puderam revelar todas as fotografias.

Noções de imagem quadro a quadro também  foram percebidas utilizando técnica de desenho sobre película 16 mm e depois projetado em um equipamento específico para essa bitola.

Com uma super produção da cineasta Ohana Almeida, os jovens passearam por Cachoeira em busca dos cenários ideais para a experimentação visual.

Mais de 30 fotografias pinholes foram  produzidas e reveladas.

FIAR também é imagem!

Crédito das fotos:

Caique da S. de Jesus
 Eva Carolina das Chagas
Janaina das Chagas
 Charles Marx Silva Nascimento dos Santos
 Brendo Nascimento dos Santos Sousa
Augusto José da C. Neto
Vinícius da Conceiçao Santos
Thiago Maia
Alace Vaccarezza
Tatiele de Souza Silva
Darlan do Ouro Costa

Me dê motivos: Residência Opavivará + GIA durante o FIAR 3

Nunca faltou motivo para que os coletivos Carioca e Baiano, Opavivará e GIA respectivamente, se juntassem em 12 dias de convívio, proposições e ações!

Em um pós verão de um ano apocalíptico, pós pinheirinho e desmoronamento na cinelândia, em véspera de conflito no Quilombo do Rio dos Macacos… Opagiará ocupa um Paraguaçu completamente esvaziado… Sim, em uma tarde ensolarada, sobre um Paraguaçu assoreado, embarcamos no Raio de Sol II em 30 pessoas, entre elas 2 crianças de um ano que se comportaram melhor do que os adultos. As imagens que presenciamos eram paradisíacas, mas sempre lembrando que nada é um paraíso, logo nos deparamos com uma draga, que de acordo com a wikipedia “sua função mais comum é a de aprofundar portos e vias navegáveis removendo parte do fundo do mar ou do leito dos rios e canais.” Bem triste ver que ali também são sugadas diversas vidas marinhas, peixes, caranguejos e siris. Sobretudo o sol estancava a visão e continuamos embriagados e eufóricos com o samba dos bichinhos infláveis do Opa, que teimavam em se desgarrar da embarcadação, e a solução encontrada foi, embarcá-los junto com toda a tripulação. Resultado: escuna abarrotada. Mas como estava tudo um colorido só, continuamos a viagem com toda euforia, bem experimentada por Michelle Matiuzzi, a “cereja do bolo” deste FIAR. Uma performer negra, toda trabalhada com um figurino Tina Tunner. Ficamos tod@s estupefatos, não só porque amamos a linda Tina Tunner, mas porque Michelle é perfeitamente original  e foi por isso que a elegemos musa do Flutuador. Ainda me resta a pergunta: De onde veio essa mulher?

Indo em frente, após uma hora de viagem, ficamos enganchados em uma rede de pesca, e nosso comandante Zezinho teve um trabalhão para solucionar, à deriva, seguimos nossos diálogos sobre tatuís e mariscadas, pois alguém não está engolindo muito bem os sapos, principalmente aqueles que não associam relaxe como registro expandido.

Depois que Zezinho mergulhou para nos salvar, conseguimos seguir adiante, apesar de não enchergarmos quaquer pescador em mais de uma hora. Dadau em seguida aponta ao “careca” uma espécie de escorregador gigante que começa no topo de um morro e segue até a margem do rio, trata-se de um duto da empresa brasileira de petróleo que para instalar esse duto ( não me lembro se leva óleo ou gás) destruiu várias nascentes e retirou algumas famílias ribeirinhas, que agora tentam viver da agricutura familiar, com muita dificuldade. Essa careca realmente é assutadora! Mas não mais assustadora do que a ilha da fantasia, não sei se alguém fotografou, mas a ilha da fantasia tem até uma quadra esportiva sobre o rio!!! Não consegui avistar qualquer alma ali, se é que é uma ilha para quem tem alma.

E por fim depois do pulo ao mar no Iguape, não dava pra judiar de 2 crianças   e dois mestres do samba que naquela altura estavam sem os seus “remédios” tomados a casa 1/2 hora? Tive a impressão que era de 10 em 10 minutos, não é mestre Paraqueda? A maior satisfação foi tê-los conosco esses dias. E por isso, paramos para nos deliciar com a legítima mariscada do Recôncavo, mais precisamente a de Coqueiros.

Ficando para a Tarde os momentos mais lindos dessa trajetória, o encontro entre o Flutuador, os bichinhos, o Opavivará e o GIA. Não precisa nem falar, é só ver as fotos.

Tudo isso começa no Recôncavo Baiano, onde o regionalismo se dilui e tod@s se tornam um só corpo, na borda, continua em Salvador até o dia 12 de março.

Haverá guerra ainda?

Veja a continuação da residência no BLOG MEDEMOTIVOSOPAGIA

A musa do Flutuador Michelle Matiuzzi , A surpresa do FIAR 3 !

O Flutuador e os Bichinhos!

Sai a lista do ônibus para o sambaGIA

Devido ao grande número de inscritos pedimos desculpas pela demora na publicação da lista, mas para evitar maiores transtornos segue a lista por ordem de inscrição. Confirmamos a saída do ônibus do Campo-Grande para Cachoeira, às 9:30 da manhã deste sábado (03/03/12) (ponto de encontro ao lado do TCA)  com retorno à Salvador previsto para às 18:00 h. Como houve grande número de inscritos confirmamos por ordem de inscrição os nomes das primeiras 30 pessoas, sendo que haverá uma chamada ás 9:30 para essas 30 primeiras e outra às 9:45 para àqueles que estão em espera ocuparem as vagas que sobrarem da primeira chamada. Informamos que não haverá pessoas sendo transportadas em pé. Se por numero insuficiente de vagas você não  ingressar no ônibus, tente uma carona solidária, chame conhecidos e venha contemplar o SambaGia em Cachoeira! Entrem em contato com Ohana cel 075 91459951 (tim)   e Herbert cel 81981949 (claro)

ACESSE A LISTA AQUI

Rádio Interofônica se junta ao Fiar para mapear artes visuais em Cachoeira


Mais um projeto se associa ao encontro das redes de artes visuais do
Fiar 3, a Rádio Interofônica. Durante o Fiar 3, acontece a primeira
parte do projeto, a  oficina “Descartografias visuais, sonoras e
audiovisuais”, em Cachoeira. O projeto pretende realizar um mapeamento
das artes visuais na cidade. Na oficina, serão feitas práticas de
conhecimentos básicos para produção multimídia utilizando aparelhos
domésticos, como telefones celulares e câmeras fotográficas, para
registrar as referências artísticas em áudio, vídeo e texto. A segunda
parte do projeto será a coleta de informações para o mapeamento, a
partir das rotas definidas coletivamente. Segundo um dos
coordenadores, Ronaldo Eli, a proposta “é exercitar uma cartografia
afetiva”, com a participação de todos na seleção de espaços
percorridos pelos artistas na cidade, pontos de encontro e
“inspiração”. Ainda durante do Fiar 3, Rádio Interofônica e Rádio
Amnésia participam da cobertura colaborativa do evento, com
transmissões ao vivo e pela web.
Novidades sonoras e audiovisuais em http://radiointerofonica.wordpress.com/

FIAR 3 – Encontro de Redes de Artes Visuais

Conforme prometido, os contatos.

O FIAR 3 que irá ocorrer em 2012 terá os seguintes artistas, coletivos e redes:

Rosa Apablaza – Desislaciones – Chile


WG e Gilsão – MucambuNuspano – Piauí 


GIA – BA


Felipe Brait – Frente Três de fevereiro – SP


Ricardo Brazileiro – PE  


José balbino- BA 


Patrícia Francisco – RS 

Coletivo Rádio Amnésia 

Surto Coletivo – Cachoeira –  BA

Opavivará  –  Rio de Janeiro