Intervenções.FIAR – PEACETU

peace

peacetu

“Rapaz, agora eu estou com uma nova política p’ra pintura… só paro de pintar quando acaba a tinta!” Essas são palavras de Rodrigo Vitorio Lisboa Souza, ou Peace, da crew Turbilhão Urbano como é conhecido nas ruas e galerias do Brasil e do Mundo.

Peace é um dos graffiteiros mais antigos de Salvador, e ao longo dos anos desenvolveu um estilo muito original de pintura abstrata nas ruas. O personagem ‘galinho’ é um dos mais presentes nas ruas de Salvador, BA, mas pode ser visto em muitas outras cidades de vários estados do país. Sem falar é claro na sua presença internacional, em cidades como Oslo e Nova Iorque. O trabalho de Peace impressiona não só pelo estilo, que é único, mas principalmente pela combinação mágica de cores, e pela naturalidade com que cada pintura é feita. Peace pinta sem parar, não descansa até que a tinta acabe, isso faz com que cada desenho seu seja completamente verdadeiro e único pois saem direto da mente do artista para a parede. Sem nenhum tipo de rascunho Peace é capaz de pintar painéis de grande dimensão quase que num traço só.

A versatilidade do artista se revela também através dos suportes que utiliza atualmente para desenvolver seu estilo. Vivendo na Noruega, Peace hoje trabalha com esculturas, pintura sobre tela, graffiti e moda. Muitos ramos para um estilo inconfundível!

Ele é mais um dos artistas do festival e estará nas ruas de Cachoeira pintando até que a tinta acabe!

Intervenções.FIAR – Grupo de Interferência Ambiental

gia

O Gia – Grupo de Interferência Ambiental – é um dos mais versáteis grupos de arte contemporânea da Bahia, e por que não dizer, do Brasil. Os trabalhos oscilam entre as artes visuais, intervenções urbanas e até a música, como é o caso da intervenção SambaGIA, onde os membros do grupo empregam toda sua criatividade na elaboração de sambas e todo seu talento na execução de músicas que divertem, fazem dançar e ao mesmo tempo fazem parar pra pensar…..”parar pra pensar….”.

Em sua primeira visita coletiva à região do Recôncavo baiano o grupo apresentou a performance Caramujo+SambaGIA. Caramujo é uma habitação alternativa, que questiona as bases espaço-temporais de todxs apresentando um misto de arquitetura criativa e ocupação rápida e voraz de espaços públicos. O grupo apresentou a performance durante o Salão de Artes Visuais do Recôncavo e muita gente da cidade de Cachoeira e de outras cidades participou de uma grande congregação regada a alegria e muito samba, às margens do rio Paraguaçu, que banha a região do recôncavo. Ainda é icógnito o plano de ação do GIA para o FIAR, mas com tanta criatividade e bom humor só podemos esperar uma intervenção daquelas que faz questão de incluir quem puder e quiser na obra. Esse é um dos maiores valores do grupo, a dissolução da distância entre público e artista, transformando cidadãos e cidadãs comuns em produtores de arte contemporânea numa espécie de ambiente artístico de autoria coletiva. Sua irreverência garante a indentificação do público com cada uma de suas obras-idéias.

Logo mais uma entrevista com o grupo aqui no site.

Workshops.FIAR – Ricardo Brazileiro

Ricardo Brazileiro é o responsável por uma das oficinas do festival. Sua experiência artística começa na manipulação de amostras e ondas sonoras, que desencadearam alguns projetos como o Metrobang. Ricardo é de Olinda, Pernambuco, e estará ministrando o workshop “Poéticas eletrônicas e linguagens experimentais” nos dias 15 e 16 de outubro, na cidade de Cachoeira, Bahia. Os workshops serão realizados na Filarmônica Lira Ceciliana, parceira do evento.

Contagem Regressiva

A cidade de Cachoeira e região do entorno é palco de movimentos culturais fortíssimos desde a década de 1970, e a partir desse histórico positivo para a produção cultural brasileira o FIAR colabora com a experimentação de linguagens anexando aos pólos locais de produção cultural (Terreiros, Pontos de Cultura, Filarmônicas, galerias poéticas, sebos, praças, Universidades…) atividades integradas de apreciação e formação técnica para a produção audiovisual artística.

Em um mês, 7 projetos artísticos envolvendo linguagens artísticas diversas como a performance, as intervenções urbanas, a arte eletrônica e o graffiti serão realizados nas cidades de Cachoeira e São Félix no recôncavo baiano. A proposta do encontro é FIAR uma rede artística e audiovisual nacional, que nos espaços urbanos do Recôncavo, conecte-se com o público.

Conheça toda a programação visitando o blog.